Por que Ler? Os Benefícios de Ler



“O livro alimentava minha imaginação. Toda a minha imaginação comia, comia e comia e de barriga assim toda cheia, me levava pra morar no mundo inteiro…!”

(Lígia Bojunga Nunes)

O primeiro livro impresso data de 1436, fruto da invenção da tipografia de Gutemberg. Os livros daquela época caracterizavam-se pela letra irregular e imperfeita, pela ausência de paginação, assinatura e título; não tinham margens ou capítulos e nem sinais de pontuação. Após 1500, com o aperfeiçoamento da imprensa, o livro foi se modificando, desde o tipo de papel até os detalhes formais ligados à disposição das letras na página, à forma de ilustração, possibilitando tiragem e divulgação maiores e mais rápidas. Podemos afirmar que a presença do livro em nossa cultura foi a chave com a qual abrimos as portas da História, alargamos as fronteiras e construímos novos mundos. A ideia de leitura, portanto, está intimamente associada à de liberdade e à modernidade.

Mas, no Brasil, a leitura parece ser uma atividade apreciada e praticada pela minoria da população. As pesquisas mais recentes sobre o assunto mostram que os brasileiros leem em média 4,7 livros por ano, sendo que apenas 1,3 são livros ausentes do currículo escolar, escolhidos pela vontade e interesse do próprio leitor. Esse dado mostra que, em geral, a leitura é associada a uma atividade obrigatória, solitária, que exige paciência e atenção. Mas, na verdade, a leitura se dá como um diálogo, uma troca que pode ser bastante estimulante.

No livro, o leitor pode encontrar respostas para dúvidas ou anseios que permeiam a sociedade, viver histórias e ir a lugares nunca imaginados. É claro que a leitura é caracterizada por uma dimensão de individualidade, já que nela muitas vezes o leitor se envolve de tal forma que o mundo ao seu redor parece se transformar. Isso ocorre também porque todo texto possuiu seus vazios, suas aberturas a serem preenchidas pelo leitor com as mais variadas significações. O leitor passa, então, a se apropriar do texto, mergulhando nele, de forma a estabelecer um pacto de cumplicidade com o que está sendo lido.

A leitura também é uma das melhores estratégias para aprimorar a habilidade comunicativa considerando que ler é uma forma de estarmos em contato com a norma culta da língua, praticando a gramática correta e enriquecendo o vocabulário. Aliás, ao longo da história da humanidade, o hábito de ler representa um sinal distintivo, de dignidade e saber. Não é por acaso que muitas pessoas se deixam fotografar tendo um livro nas mãos. Mesmo no mundo de hoje, informatizado, invadido por imagens, a leitura ocupa um lugar de destaque, pois está associada ao desenvolvimento pessoal e ao status intelectual.

Por isso mesmo, entre os principais benefícios para quem adquire o hábito da leitura está a facilidade em obter sucesso profissional. Segundo um estudo feito pela Universidade de Oxford e divulgado pela Revista Veja em maio deste ano, quem lê de forma espontânea, além da obrigação escolar/ profissional, tem mais chances de crescer profissionalmente, devido à ampliação de vocabulário e à compreensão de conceitos abstratos possibilitados pelas leituras cotidianas.

Para se ter uma ideia da importância dessa atividade, nessa pesquisa, comparou-se o hábito de 17.200 pessoas aos 16 anos e suas posições profissionais aos 33, e notou-se que, entre cinema, esporte etc., a única atividade substancialmente relevante para a ascensão foi a leitura. Ou seja, quem, desde jovem, dedica algum tempo livre a ler pode se tornar no futuro um profissional mais bem-sucedido.

Vale notar que tanto em revistas e jornais diários quanto em livros “best-seller” ou clássicos podemos obter os mesmos benefícios da leitura. Não importa a forma como o leitor entra em contato a língua escrita culta e correta, o importante é que isso seja um hábito e que haja diversificação dos tipos de leituras feitas.

Como desfrutar do hábito da leitura?

Para adquirir o hábito de ler, deve-se avançar gradualmente, em vez de logo escolher um livro clássico, composto por inúmeras páginas. Comece lendo aquilo que mais o agrada. Se você é uma pessoa que gosta de esportes, procure cadernos esportivos em jornais, revistas especializadas, biografias sobre grandes nomes e textos em geral que tratem do assunto. O mesmo se aplica a cinema, turismo, curiosidades etc.: qualquer tema é válido para abrir as portas à leitura.

Outra dica importante é aproveitar todas as “brechas” do seu tempo para ler. Tem se tornado cada vez mais comum encontrar pessoas com um livro na mão ao entrar em um ônibus ou metrô, ao sentar-se em uma sala de espera de um consultório ou até mesmo em filas de banco. Esses momentos em que, aparentemente, nada de útil pode ser feito (a não ser esperar) são ótimas oportunidades para sacar da bolsa um livro. Além do prazer da leitura, a companhia de um livro vai fazer com que o desconforto da espera seja minimizado.

Se preferir, institua um horário para leitura. Pode ser antes de dormir, naqueles 10 minutos do horário de almoço que (às vezes) restam. Ritualizando essa prática, facilmente, ler se tornará parte de sua rotina.

Uma recomendação importante: tire proveito daquilo que você lê. Reflita sobre o assunto abordado nas leituras, discorde ou concorde, converse com outras pessoas sobre seu ponto de vista. Essa é uma forma de colocar em prática o que você leu e de exercitar sua argumentação e seu vocabulário.

Não há formulas mágicas para nos tornar leitores assíduos. É preciso dedicação e perseverança até que comecemos a ler rotineiramente, por prazer e não por obrigação. O hábito de leitura, há tanto tempo incorporado pelas culturas norte-americana e europeia, parece que está se difundindo no Brasil cada vez mais, embora isso ainda ocorra de forma bastante vagarosa.

E quem mais ganha com o aumento da prática da leitura? Os próprios leitores, que passarão a explorar realidades e mundos diferentes dos seus, por meio da imaginação, a se comunicar melhor no dia a dia, a adquirir um vocabulário mais amplo, e, consequentemente, a ter melhores chances de crescer em suas carreiras.

Leitura é alimento, é fonte de vida! Desfrute-a!

Por Rosângela Curvo Leite , Vívian Rio e Claudia Tavares Alves

voltar